Chiang Mai

Chiang Mai é uma cidade no norte da Tailândia conhecida por seus templos e por suas belezas naturais. É muito procurada por quem gosta de atividades ao ar livre e por quem busca se conectar com seu lado espiritual. 

Nossa viagem para Chiang Mai começou no trem que pegamos em Bangkok. As opções iam de terceira classe sem ar condicionado à primeira com ar. Optamos pela segunda classe climatizada e foi uma boa escolha. Como viajamos à noite, nossos assentos se transformavam em confortáveis camas.


Logo que chegamos notamos uma fumaça no ar, e um céu que estava sempre nublado. Depois descobrimos que essa é a época das queimadas para preparar a terra para plantação de arroz. A cidade estava aguardando ansiosamente pela chuva que levaria a fumaça embora e deixaria os dias mais claros. 

Chiang Mai é muito tranquila, ideal para relaxar e conhecer mais de perto a cultura tailandesa. A cidade tem um ritmo lento e conta com diversos cafés, onde pudemos sentar, apreciar a vista, ler um livro e conversar com outros viajantes. Outra coisa típica da cidade são as livrarias, que além de venderem livros novos e usados, têm o costume de comprá-los de volta pela metade do preço. Adoramos a ideia e escolhemos um livro sobre os costumes da Tailândia.


Os templos na cidade são lindos, e a 3 horas de carro fica o White Temple, o mais famoso da região. Esse templo é completamente diferente de todos que vimos na Tailândia. Ele já está em construção há 20 anos e vai levar mais 40 anos até ficar pronto. 





O Doi Suthep é outro templo que apesar de ficar fora da cidade merece a visita.  É  o templo mais alto da Tailândia e foi construído lá pois diz a lenda que o rei rezava para saber onde construir o templo, e então seu elefante que havia desaparecido foi encontrado neste local. 




 No caminho paramos em uma fonte termal, mas só podíamos molhar os pés. A água é tão quente que uma senhora vendia ovos em uma cesta de palha para cozinhar. Algumas pessoas aproveitaram para comer um ovinho cozido de café da manhã...


No mesmo dia fomos até a tríplice fronteira entre Laos, Myanmar e Tailândia conhecida localmente como Golden Triangle. É chamada assim pela importância do comércio de ópio na região. Como cada país tem sua própria moeda a compra e venda é feita com barras de ouro, e 1 kg de ópio = 1 kg de ouro.


Um passeio muito famoso em Chiang Mai é o da Tribo Long Neck, das mulheres com argolas no pescoço. Decidimos não ir para não incentivar esse tipo de turismo. Essa tribo é refugiada de Burma e não pode sair da vila para trabalhar. A única renda é a venda do artesanato feito pelas mulheres para os turistas. O problema é que as mulheres tem cicatrizes no pescoço e esse processo é bem dolorido, mas continuam colocando argola nas crianças para atrair turistas. Preferimos então conhecer a tribo Akha, que fica praticamente no mesmo espaço.


Essa região tem outras tribos refugiadas de diferentes lugares da Ásia, e conhecemos também o povo Hmong originário da China e que se instalou tanto na Tailândia como no Vietna e Laos. A vila é bem conservada e tem um jardim lindo.



3 comments:

Cristina Rocha said...

Que lindas paisagens e fotografias! Primeira foto do Conrado sério sem seu sorriso contagiante!
Um choque cultural! Muito a se aprender! Abraços!

Ludmyla Rocha said...

Lugar fantástico. Adorei as fotos e as curiosidades do lugar.

Elaine Araujo said...

Oi Conrad & Tai!!! caramba, quanta aventura.. achei q vcs iam ficar pela Europa.. tctctc ledo engano... O Máximo essa viagem, hein! Quanta cultura vcs estão adquirindo, IRADO!!!! Aproveitem muito! (Acho q não vão conseguir voltar hein.. kkk ) Bjs e sigo seguindo vcs por aqui :) Elained

Post a Comment