Croácia


Croácia estava nos nossos planos de viagem há algum tempo, mas não sabíamos muito a respeito do país. E acabamos descobrindo que tem muito mais do que lindas praias.

Para começar, algumas curiosidades que notamos durante nossa estadia na Croácia: as pessoas são extremamente cordiais e solicitas, além disso todo mundo fala inglês, o motorista, garçonete,  o que facilita muito a vida de quem está viajando; as ruas são perfumadas por flor de laranjeira; existe uma forte influência italiana em algumas regiões, e às vezes a impressão é de as pessoas estão de fato falando italiano, pela imposição da voz e aquele gestual bem típico que todo mundo conhece; em termos culinários o que vimos de mais diferente foram os leitões assando; Paski, queijo típico feito com leite de carneiro e a bureka, mistura de pão, folhado e pizza, que só comendo para tirar suas próprias conclusões.



Nosso primeiro destino foi Zadar, cidade fundada há 3mil anos e por isso cercada de ruínas romanas e pontos históricos, como o Portão da Cidade, o Parque Vladimir Nazor e o Monastério de São Francisco de Assis.

Estreamos no Mar Adriático, mas deu só para molhar a mão porque estava bem frio.

Na ponta do calçadão, que é todo florido, fica o Marske Orgulje - Órgão do Mar. O instrumento é formado por escadas e o som é produzido pelas ondas do mar. É o ponto mais disputado para ver o pôr do sol.



De Zadar fomos para Split, que é a segunda maior cidade da Croácia, famosa pelo Palácio de Diocleciano, cujo interior é formado por ruas estreitas que hoje abrigam cafés, restaurantes e lojas. 

Entrando pelo portão de prata está a Catedral de São Domnius onde fica o mausoléo de Diocleciano. É possível subir na Torre da Catedral e a visita inclui ainda o Templo de Júpiter.

Além da parte histórica, Split tem praias de águas cristalinas e o promenade, onde locais e turistas aproveitam para praticar atividades ao ar livre. 

Muita gente usa a cidade como base para conhecer ilhas próximas, como Hvar onde passamos um dia e é destino muito procurado no verão. 

Como era baixa temporada estava praticamente tudo fechado, mas conseguimos visitar o Castelo. O cenário é de um verde pálido e cheio de oliveiras.

Depois foi a vez de conhecer Dubrovinik, que de longe foi a cidade que mais gostamos na Croácia. Assim como Zadar e Split, a parte antiga da cidade é cheia de ruínas e fica cercada por muralhas. 


Subimos também até o forte de onde se tem mais uma vista privilegiada da cidade.

Tivemos a oportunidade de visitar uma exposição de Dali sobre Dante e fomos ainda à galeria War Photo Limited que conta com imagens impactantes de guerras contemporâneas, como a que se deu pela independência da antiga Yugoslávia.

Para finalizar nossa visita à Croácia, fomos até Zagreb, que apesar de ser a a capital do país, tem ares de cidade pequena. Visitamos a Catedral, Igreja St. Mark, Dolac Market e caminhos arborizados que ficam em uma parte da cidade que só se conhece se for apresentado por um local, o que foi o nosso caso.

Já o Museu Broken Relashionship é super recomendado, mas foi a maior decepção! São objetos aleatórios com uma história sobre o relacionamento que não deu certo. Para compensar fomos ao Old Pharmacy Pub que fica em uma antiga farmácia e tem excelente carta de cervejas.

O ponto alto da viagem ficou por conta do Plitvice Park. Foi a paisagem mais linda que vimos até agora. O parque é cercado de cachoeiras e diversas trilhas levam a mirantes estratégicos para apreciar a beleza do lugar de diferentes pontos de vista.











2 comments:

Cristina Rocha said...

Que surpreendente é a Croácia! Lindas paisagens e belas praias. Mas o Plitvice Park é magnífico!
☺️

Conrado said...

O parque é uma capítulo a parte!

Post a Comment